quarta-feira, 13 de junho de 2012

NBB 5: hora de mostrar responsabilidade


O NBB 4 acabou e agora os clubes começam a se preparar para a próxima temporada. Mais do que nunca, é preciso ter cuidado. Este é um momento delicado para a continuidade do sucesso do basquete brasileiro. O caminho do crescimento do esporte no Brasil passa pelo equilíbrio de forças na competição. Taí algo que deveríamos efetivamente “copiar” da NBA. Há uma constante preocupação dos administradores da Liga no tocante à manutenção de certo equilíbrio competitivo entre as equipes. O sorteio para escolha de novos jogadores (draft) busca viabilizar, ao menos em parte, este nivelamento. Além disso, existem barreiras financeiras para evitar que superinvestidores montem times muitos desvios-padrões fora da média do campeonato, o que faria com que o brilho da competição se perdesse. Vejam o que aconteceu com a fórmula 1 na época em que não havia dúvida de que a dupla Ferrari e Schummacher ganharia todas as provas! O público perdeu interesse. Competições precisam de verba para que aconteçam; patrocinadores precisam ter suas marcas vistas pelo público consumidor; a mídia precisa dos fatos para divulgar as notícias. No fundo, um campeonato óbvio não atrai audiência, que afasta os investidores e desaparece dos noticiários.

Tenho observado com certo incômodo a movimentação do mercado do basquete brasileiro.  Poucos times mantiveram seus elencos da última temporada. Joinville, Paulistano, Pinheiros e Minas Tênis perderam boa parte de sua base e ainda não começaram a suprir as lacunas. Araraquara e Limeira estão se licenciando por falta de verba. Vila Velha e Liga Sorocabana também passam por dificuldades financeiras para montar seus times. Tijuca dispensou todo o elenco para recomeçar do zero. Franca mudou não só os jogadores, mas também seu status, passando a ser um time mais jovem (bem diferente da última temporada) e sob comando de um treinador acostumado a lidar com grupos desta característica. Brasília, Bauru, São José e Uberlândia seguraram seus principais jogadores e começam com um grupo forte. Os estreantes Palmeiras e Mogi também mantiveram a base e estão ainda em fase incipiente de contratações de reforços. Ainda há a possibilidade de Fortaleza e Assis aparecerem entre os participantes, mas ainda sem informações sólidas sobre seus elencos. O clube que mais investiu até o momento foi o Flamengo, que renovou de forma expressiva seu elenco. É incontestável que a ausência do time carioca nas finais do NBB nos últimos dois anos fez pressão para que reforços de peso fossem agregados ao grupo.

E é aí que vem minha preocupação. Pelas negociações anunciadas até a data de hoje, ao que parece, aquele equilíbrio de forças tão comum nos jogos de 2011/2012 vai dar lugar a um campeonato de muitos times, mas poucos competidores. A Liga Nacional de Basquete precisa se proteger para manter o NBB imprevisível. Se certame tiver campeão certo antes mesmo dos times entrarem em quadra, será bem mais difícil ver os ginásios cheios como vimos este ano. Algo para se debater, com calma...

3 comentários:

  1. Mto lamentável o fim de Limeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rick! Obrigado por sua visita aqui no É Cesta!

      Concordamos com você, foi lamentável o anúncio da retirada do time de Limeira da próxima temporada do NBB. Por outro lado, creio que eles voltarão para o NBB6 mais fortalecidos! Vamos aguardar!

      Abraço e Boas Cestas!

      Excluir
    2. Limeira nao vai sair.

      A equipe confirmou a presenca no nbb5...ja renovou com Ramon, diego, alemao, mateus dalla...contratou Guilherme e leando do Minas, e Fernando mineiro do tijuca

      Abracos

      Excluir